INTRODUÇÃO

 

O desenvolvimento de cultivos de peixes e camarões em escala comercial vem sendo alvo de críticas duras por parte de ambientalistas, que se baseiam nos problemas ambientais observados em outras regiões do mundo (Ásia, América Central e do Sul), que por sua vez foram causados pelo crescimento descontrolado da atividade e pela falta de regras específicas para a atividade (Pillay, 1992; Clark, 1996).

 

De maneira geral, os impactos e sua gravidade estão relacionados a:

 

  • Escolha inadequada na localização do empreendimento;
  • Densidade de organismos confinados e ao manejo adotado;
  • Quantidade de nutrientes e matéria orgânica que serão despejados no meio ambiente;
  • Presença ou não de sistemas de tratamento dos efluentes;
  • Hidrodinâmica do corpo receptor destas aguas.

 

Portanto, a implantação de cultivos de maneira descontrolada, sem cuidados na escolha de áreas propícias para o desenvolvimento da atividade e manejo inadequado podem gerar sérios  problemas ao ambiente e aos próprios cultivos. Cabe ao governo, através das secretarias de meio ambiente, no âmbito estadual e municipal, Ministérios do Meio Ambiente e da Pesca e Aquacultura, em conjunto com as instituições de pesquisa e organizações ambientais, estabelecer normas que permitam o estabelecimento da atividade, mantendo o equilíbrio sócio-econômico, com mínimo prejuízo do ponto de vista ambiental.

 

Objetivos do projeto foram:

  • a) Determinar possíveis impactos das espécies exóticas cultivadas no entorno do estuário da Lagoa dos Patos, através de análises de risco.
  • b) Levantamento das principais espécies de organismos cultivados na região estuarina da Lagoa dos Patos e georreferenciar os locais de produção;
  • c) Estabelecer as áreas mais propícias para os cultivos de camarões e peixes, através do cruzamento de informações sócio-econômicas e ambientais, utilizando SIG como ferramenta;
  • d) Realizar o monitoramento da qualidade de água que entra e sai das unidades de cultivo, e determinar:
    • O aporte de nitrogênio e fósforo para o ambiente e seus efeitos sobre as comunidades fitoplantônicas;
    • O aporte de matéria orgânica para o meio ambiente e seus efeitos sobre as comunidades de macro-invertebrados bentônicos;
    • Determinar se o tempo entre os ciclos de cultivo de camarões, realizados durante a primavera e verão, permite a recuperação das comunidades bentônicas;
  • e) Aplicação de modelos matemáticos, baseado no aporte de matéria orgânica e nitrogênio para o ambiente, efeitos sobre a comunidade bentônica e nas condições hidrodinâmicas regionais, para determinar a área máxima de cultivos que podem ser estabelecidos na região estuarina da Lagoa dos Patos;
  • f) Emprego de isótopos estáveis na avaliação de possíveis alterações na biota (macrófitas, macro-invertebrados bentônicos e peixes) ocasionadas pelos efluentes de despejo de cultivos de camarões e peixes;
  • g) Realizar estudos para aumentar a eficiência das bacias de sedimentação no tratamento de efluentes de aquacultura, com base na produção de microalgas, plantas halófitas e microorganismos;